Incoterms 2020 e suas futuras novidades

Em 2020, os incoterms passarão por mudanças programadas. WM Trading explica essas mudanças.

Em 2020, o International Commercial Terms (Incoterms) passarão por adaptações. Publicados pela Câmara Internacional de Comércio, eles possuem previsão para serem revistos e alterados de acordo com a prática do comércio exterior. A revisão prevista para o ano que vem deve gerar mudanças que precisam ser conhecidas por importadores e exportadores brasileiros.
 
1. Eliminação de incoterms
 
Os incoterms EXW (Ex Works) e DDP (Delivered Duty Paid) serão retirados. Isso porque foram classificados como operações domésticas para importadores e exportadores. Além disso, alguns termos contradizem o novo Código Aduaneiro da União Europeia.
 
O incoterm FAS (Free Alongside Ship) também será retirado. O Comitê de Redação avalia criar um incoterm somente para os produtos que costumam ser usados com ele, como cereais e minerais. Além disso, no incoterm FCA, a mercadoria também pode ser entregue no cais, tornand o FAS dispensável.
 
2. Alteração de incoterms
 
Alguns incoterms serão alterados. Os incoterms FOB e CIF, para transporte marítimo em contêiners, devem voltar a ser usados em transportes sem contêiners. É possível que o incoterm FCA (Free Carrier Alongside) seja usado também para mercadoria entregue no cais, dispensando o incoterm FAS.
 
3. Desdobramento de incoterms
 
Estão previstos desdobramentos de alguns incoterms. O FCA (Free Carrier Alongside) será desdobrado em dois: um para entrega terrestre e outro, para entregas marítimas. Para evitar inconvenientes nos pagamentos, o DDP deve ser desdobrado em dois: DTP, para mercadorias entregues em terminal; e DPP, para mercadoria entregue em locais que não forem terminal.
 
4. Criação de incoterm
 
Será criado um incoterm: o Custo e Seguros (CNI). Ao contrário do FCA, inclui o custo do seguro internacional em nome do exportador; e, ao contrário do CFR/CIF, ele não inclui o frete. Sua função será de chegada, com risco de transporte transmitido do vendedor para o comprador no porto de partida.
 
Outros tópicos também estão previstos: segurança no transporte; novos regulamentos sobre seguros de transporte; relações entre os incoterms e os contratos internacionais de compra e vendas. As mudanças precisam ser conhecidas por importadores e exportadores brasileiros. Elas assinam quais incoterms devem ser utilizados nas transações das mercadorias a partir do ano que vem.
 
Diante de mudanças como essas, suas operações sempre podem se beneficiar de uma gestão profissional. O importador encontra essa gestão na WM TRADING. Conte com a gente para entender as alterações dos incoterms e aproveitar o melhor do mercado internacional. Com a WM TRADING, suas operações são feitas com planejamento e segurança, baseada em anos de experiência.
 
WM TRADING, qualidade e excelência em comércio exterior.
 
(Com informações do Global Negotiator e do ICC)